Do Caburaí ao Chuí “Extremas Fronteiras Barreiras Extremas” (Cruzada Pela Acessibilidade)

wfoto pagina barreiras extremas congo kinshasa

20 estados

10.700 quilômetros

Uma grande caminhada: Uiramutã ao Chuí

Um Grande desafio: Conscientizar o povo brasileiro a ter mais respeito com as pessoas deficientes.

Estados a serem percorridos

Roraima, Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Goiás, Brasília, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul.

O PROJETO:

O projeto “Cruzada Pela Acessibilidade” consiste em uma caminhada, de 10.700km, empurrando uma cadeira de rodas, saindo de Uiramutã, fronteira norte com a Venezuela, no estado de Roraima, passando por 20 estados: Roraima, Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Goiás, Brasília, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, culminando em Chuí, fronteira Sul com o Uruguai.

A caminhada, que terá uma duração aproximada de um ano, tem como objetivo precípuo ministrar palestras em escolas nas comunidades visitadas visando atrair a atenção das crianças sobre um dos principais problemas que afetam às pessoas deficientes: as barreiras arquitetônicas (atualmente podem-se ver pessoas em cadeiras de rodas impossibilitadas de entrar em um banco ou setor publico, por falta de rampas de acesso ou de elevadores)., e, projetar uma imagem diferente da pessoa deficiente que não gere pena, senão Igualdade – Dignidade – Respeito, pois apenas eliminando as barreiras arquitetônicas e sociais que dificultam às pessoas deficientes a participarem ativamente em todos os aspectos da vida social, teremos um mundo mais justo e mais humano. Para alcançar este objetivo, pós as palestras, em parceria com os Lions Clubes do Brasil, serão distribuídas cartilhas, em formato digital, da Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Motivação:

Em junho de 2008, durante minha viagem em um kart a pedal de Paris a Johanesburgo, na passagem pela cidade de León, no “Caminho Frances”, da rota de peregrinação de Santiago de Compostela, em um dado momento escutei uma vóz feminina dizendo: “No puedo” (não posso). Era uma jovem em uma cadeira de rodas tentando subir um pequeno passeio de 15 cms de altura.

Para mim, subir aquele passeio era a coisa mais normal do mundo… aprendi a fazê-lo ainda engatinhando. Mas para aquela moça, era um grande desafio.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE-2000) o Brasil possui cerca de 24,5 milhões de portadores de alguma forma de deficiência física, o que equivale a aproximadamente 14% da população. Apenas 80 mil desses deficientes, possuem um emprego formal.

No mundo, existem 500 milhões de pessoas deficientes – um décimo da população humana, e 80% dessas pessoas vivem em países em desenvolvimento. Um terço desse total é composto por crianças. Nos países em desenvolvimento, 70% das pessoas portadoras de deficiência vivem em zonas rurais. Sendo que em todas as partes as pessoas com necessidades especiais, em sua maioria, estão nas classes mais pobres. A elas são negados o acesso a edifícios, a informação, a independência, oportunidades, a escolha de opções e o controle sobre a própria vida.

A satisfação do objetivo da acessibilidade universal só é possível a partir de um espaço urbano concebido para todos, e isso é responsabilidade do poder público. Fazendo cumprir leis que permitam à sociedade civil a promoção de estratégias para uma integração efectiva dos deficientes e contribuir de forma positiva para a quebra de tabus associados às diversas deficiências, incentivando à reflexão da sociedade sobre a realidade dos deficientes e contribuindo assim para a redução do estigma, da discriminação e da marginalização das pessoas com mobilidade condicionada e outras deficiências.

Duração

365 dias de caminhada

Objetivos

Conscientizar a população para as necessidades básicas para a livre locomoção dos deficientes físicos. Projetando conceitos de igualdade, dignidade e respeito, e eliminando barreiras arquitetônicas e sociais que dificultam os deficientes físicos a participarem ativamente da vida social, formando um mundo mais justo e humano.

Realização:

O ambientalista e ciclista brasileiro José Geraldo de Souza Castro, há 30 anos realiza inusitadas aventuras ao redor do mundo.

Conhecido como Zé do Pedal, fez sua primeira viagem em 1981, quando saiu do Rio de Janeiro, de bicicleta, e chegou à Espanha, para assistir à copa do mundo de 1982. Depois disso, deu a volta ao mundo de bicicleta, cruzou o Japão e parte do Brasil em um velocípede, desceu o rio São Francisco num pedalinho, viajou pelo oceano Atlântico em um barco a pedal e cruzou o continente africano em um kart a pedal. Passou por chuvas monçônicas, terremotos, furacões e duas guerras civis. No total, visitou 76 países e pedalou cerca de 150 mil quilômetros.

Um aventureiro solidário, que sempre se preocupou em chamar a atenção do mundo para questões ambientais e humanitárias. Em todas as suas viagens, abraçou uma causa ou campanha social, e desta vez procura chamar a atenção do país para as necessidades dos portadores de deficiência física.

Equipamentos e Infra-Estrutura

Equipamento Descrição Qntd Objetivo
Carro de apoio Van – furgão 1 Transporte de equipamentos e equipe de apoio
Cadeira de rodas Doação durante a caminhada
Lap Top Presario 2 Comunicação, assessoria de imprensa e arquivo
Impressora portátil HP 1 Comunica����ão, assessoria de imprensa e arquivo
Material de Camping Vários itens
Roupas e acessórios Vários itens
Câmera fotográfica Nikon 1 Assessoria de imprensa e arquivo
Câmera filmadora Sony 1 Assessoria de imprensa e arquivo
Combustível Bio-Dísel X
Alimenta��ão Diaria alimentação para 3 pessoas 365 Alimentação de Zé do pedal e equipe de apoio

Custo do Projeto:

Valor total – R$ 200.000,00 (Duzentos Mil Reais)

Contraproposta aos Patrocinadores

As empresas que patrocinarem o projeto terao os seguintes beneficios:

– Espaço publicitário nos banners e cartazes publicitários na largada e chegada da caminhada.

– Uilização de parte das fotos geradas durante a caminhada, para efeito publicitário ou promocional da empresa.

– Espaço publicitário no veiculo de apoio.

– Espaço publicitário na camiseta, boné e demais indumentários de Zé do Pedal

– Utilizaç��o de logomarca e imagem de “Zé do Pedal” para publicidade e promoção da empresa.

– Espaço no banner utilizado nas entrevistas coletivas de imprensa.

– Referência à empresa em todas as entrevistas para jornais, revistas, sites de internet, rádios e televisão.

– Referencia à empresa em todos press-releases enviados para imprensa.

– Link da empresa no site www.zedopedal.com.br (em construção)

– Participação em eventos, a convite da empresa.

– Espaço publicitário no banner utilizado em palestras executadas após a conclusão do projeto.

– A caminhada percorrerá aproximadamente 327 cidades, de 20 estados em todas as regiões do Brasil. Gerando um infindável n��meros de reportagens e um público de milhares de pessoas.

Estratégias de Divulgação:

A caminhada será divulgada usando os seguintes meios:

– Meios de Comunica��ão do Lions Clubes (boletins informativos, revistas e jornais)

– Televisão

– Radio

– Jornais

– Revistas

– Agencias de Noticias

– Internet

– Durante a caminhada será enviado, via internet, periodicamente, um press-release para publicações (jornais, revistas de aventuras, esportes e náuticas, agencias de noticias e televisão), do Brasil e exterior

– Realizaç��o de palestras em escolas, entrevistas, exposições de fotos e vídeo.

– Atualização do site de internet e páginas sociais em tempo real

Roteiro de viagem:

Estados a serem percorridos – 20 estados brasileiros:

Roraima, Amazonas, Pará, Maranhao, Piaui, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraiba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Goias, Brasilia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul.